É devido seguro-desemprego a quem tem empresa

desemprego 2500

 

Quem tem uma empresa em seu nome, mesmo que ela esteja fechada e sem dar nenhuma renda, não pode receber o seguro-desemprego, segundo o Ministério do Trabalho e Previdência Social.

Para conseguir o benefício, é necessário fechar a empresa e tirar o seu nome do CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) antes da demissão. Se for depois, não adianta.

O problema é que isso não está na lei do seguro-desemprego e é uma interpretação equivocada do governo.

Um trabalhador assalariado pode ter tido uma empresa e tê-la fechado antes de ter sido contratado. Muitos deixam a empresa inativa, mas formalmente ela ainda existe, e o trabalhador é considerado um empresário. Aí é que está o problema.

O governo afirma que o CNPJ “caracteriza o cidadão como possuidor de renda própria, portanto deixa de ser empregado e passa a ser empresário e, dessa forma, deixa de ter direito ao benefício do seguro-desemprego”.

O Ministério afirma que a decisão de não dar seguro-desemprego a quem tem CNPJ é baseada no artigo 3º da lei que rege o benefício, que diz que é preciso comprovar “não possuir renda própria de qualquer natureza suficiente à sua manutenção e de sua família”.

Segundo o Ministério, a medida “leva em consideração a recomendação da Controladoria Geral da União (CGU)”, porque “esta condição (de ser sócio de uma empresa) representaria um conflito com a regra definida em Lei”.

Contudo nós da AlmeidaBoer Advocacia entendemos que essa interpretação é questionável porque a lei não fala sobre quem tem CNPJ.

“O Ministério vem supondo que quem possua um CNPJ ativo não preenche os requisitos legais para habilitação no programa. Tal suposição é complemente equivocada”, afirma Dino Araújo de Andrade, presidente da Comissão de Direito do Trabalho da OAB/DF.

Entendemos que não se pode negar o seguro com base em algo que não está na lei. “A posição do governo em negar a concessão desse benefício é claramente inconstitucional, pois não há previsão legal para essa decisão.”

Portanto se foi demitido quando seu CNPJ já estava “baixado” ou inativo na Receita Federal e Estadual, comprovantes de não rendimento da pessoa jurídica e a recusa por escrito do Ministério do Trabalho, procure um advogado de sua confiança.

www.almeidaboer.adv.br

(44) 3046-3049.

Deixe uma resposta